terça-feira, 21 de fevereiro de 2012

Where do In find myself right now?



Here I am. Again. Asking myself where do I find myself now. Again. It's good to ask yourself that, once in a while.

I'm in a different place. Everytime I ask myself, I find myself in a different place. And that's something I find good. A good sign. It means I'm still growing. I feel like I'm growing more now than I used to when I was a young girl. It means I'm young, at my heart, I remain young, a teenager, a child. It's good to ask myself that question and notice that I have the answer. I love to hear that answer.


Já mudei de sítio, outra vez. Eu ando sempre a mudar de sítio; mudo mais de sítio psicológico, que de sítio físico. Mas não me canso. Como se, de quantos em quantos meses, eu acordasse uma pessoa diferente. É bom, eu gosto de mudar assim, sobretudo porque sinto mudar para melhor. Há muita coisa que consigo ganhar e conquistar. Há alguma que perco; quando olho para trás e vejo que perdi qualidades assusto-me. Corro para trás, vou lá buscar e volto num ápice para o sítio onde estava antes, na tentativa de que ninguém se aperceba da perda. De que eu mesma não me aperceba da perda.
Então, se mudei de sítio, onde estou? Estou a caminho. E agora, vejo o caminho. Há coisas que eu sei que, ao longe parecem umas coisas, mas quando me aproximar se revelarão algo diferentes. Não faz mal, a vista aprimora-se a cada dia, que a vista precisa de treino como tudo mais. É preciso insistir a olhar com olhos de ver. Ao início a vista trai-nos, não está habituada a ver como deve ser. Mas os olhos já não me traem. As vozes guiam-me ao invés de me desorientar. Este dia iria chegar, sempre soube, mas não soube confiar, nem acreditar. Quando estamos no meio da tempestade, por vezes temos dificuldade em acreditar que a bonança se lhe segue. E a tempestade poderá voltar até; mas a que a enfrentar é outra agora, é diferente da que era antes, tem outras armas, outras ferramentas. Já não se atormenta da mesma maneira, nem se assusta com as coisas de antigamente. Assustam agora outras coisas, que um dia, por sua vez, deixarão de assustar elas também. É sempre assim; umas levam mais tempo, outras menos, mas é sempre assim.
Estou a caminho de mim; andei perdida por atalhos em que me meti, cuidei que nem todos os caminhos levariam a Roma, mas levavam. Os atalhos; meti-me em trabalhos, mas lá cheguei. Os quilómetros que poupei valeram-me golpes e arranhões, mas houve caminhos que assim aprendi que não teria aprendido de outra forma. Não adianta pensar que poderia ter sido diferente; poderia, é certo, mas seria outra a que estaria aqui a escrever e não esta que aqui se encontra, e eu gosto desta, não a trocava por outras mais asseada e menos arranhada.
Quando começamos a chegar, os contornos tornam-se mais claros. As perguntas que nos fizemos pelo caminho encontram resposta. Os vislumbres longínquos encontram contornos cada vez mais perfeitos, definidos, concretos. O sonho transmuta-se em realidade. Eu sabia que assim seria. Ainda assim, para tudo o que vi, tenho a sensação de pouco me haver ainda aproximado. Mas sei que me aproximo. A cada passo tenho a confirmação. Que, ao longe, se vislumbrava uma grande montanha, cheia de caminhos e grutas e bosques e veredas. Caí num vale e deixei de ver a montanha; duvidei da sua existência, cuidei haver-me confundido. Mas não. Em momento algum me confundi. Tudo o que vi estava lá; recomecei a vistrumbrar a montanha mal consegui recuperar do vale.

2 comentários:

Miguel Bento disse...

when you found the answer for that question, is just the begining of a long journey, but i start with the right foot, is so wonderfull see a human soul saying things like the one´s you said, keeping our soul young is just a step for a strong heart, Congrats

Nina Porcelain Lennitta disse...

Thanks, Miguel :) Young at heart, like the song says. As the time goes by, it seems like I'm growing more and more, and when I think I'm already a grown up, I find I'm still a child... you're always a child from the moment you decide that your life's purpose is to grow... getting older is not a part of growing up. If you get older, you loose your strenghts, but if you grow up, you only gain more strenghts. We need to grow up in a conscious way, so we don't get old... it's difficult, but I think it's possible! :)